Um e-commerce seguro reflete em mais vendas pela internet e mais tranquilidade para seu cliente. Você sabe quais são os 7 principais pontos de segurança de um site?

Os crescentes problemas de segurança e as diferentes maneiras de ser enganado na internet fazem com que seus consumidores comprem menos e indiquem cada vez mais as lojas que reconhecem como seguras. Então, use esse cenário de insegurança para sair na frente da sua concorrência, mostrando-se como a melhor alternativa também nesse quesito.

Continue a leitura e descubra como transmitir segurança para seus clientes e realizar muito mais vendas pela internet!

Dica 1: monitore cancelamentos

Ao controlar a quantidade de cancelamentos, você pode perceber se fraudadores estão tentando descobrir falhas na segurança do seu site. Tenha uma pessoa responsável por isso que, quinzenalmente, levante os dados de quantos cancelamentos foram feitos por região, por exemplo. Assim, você consegue ficar vigilante se pessoas estão explorando as vulnerabilidades do seu site.

Outra análise que deve ser realizada periodicamente é a varredura de compras por boletos que não foram pagos e de cartões de crédito que não passaram. Assim, você pode ficar alerta caso o número de cancelamentos cresça demais.

Ao identificar no banco as desistências recorrentes de boletos, tente encontrar um padrão: se são sempre dos mesmos indivíduos ou cidades específicas, por exemplo. Dessa forma, você evita cair em algum tipo de fraude. E, claro, ter um antifraude é sempre indispensável.

Dica 2: tenha selos de segurança

Mostre para os seus clientes que você se preocupa com segurança. Várias empresas monitoram vírus na internet e, em troca, entregam selos de segurança atualizados.

Ao acessar, seu cliente verá que uma grande empresa monitora seu site. Isso o tranquiliza e aumentam as chances de que ele compre no seu e-commerce.

O lugar ideal para ter esse selo é perto do botão “comprar” na página do produto, no rodapé do site e na seção de contato do site. Assim, você reforça aos seus clientes que todas as informações sensíveis estão protegidas por uma empresa confiável.

Dica 3: tenha certificação SSL e PCI

Como seu cliente precisará inserir informações pessoais para comprar em seu site, é importante que essas informações não sejam roubadas. Para evitar isso, existem os certificados SSL (Secure Socket Layer).

Eles criptografam as informações que são inseridas na página e, dessa forma, ficam indecifráveis. Nem lojistas, nem ladrões têm acesso aos dados.

Os sites com certificado SSL são destacados nos navegadores com um cadeado verde ao lado do endereço mais a palavra “seguro”. Caso não exista um certificado SSL na página, os principais browsers mostram o aviso “não seguro”, em cinza. Isso só acontece atualmente em páginas com formulários (e-mail, cartão de crédito, telefone, códigos secretos do cartão etc).

A ausência do certificado SSL também afeta a presença do seu site no Google, já que o buscador afirmou preferir sites que tenham certificados válidos, por considerar isso ser o melhor para os usuários.

O certificado PCI (Payment Card Industry) também confere segurança ao lojista e ao consumidor. Esse certificado dita padrões de segurança para todas as empresas que armazenam ou transmitem informações sigilosas de portadores de cartão. Se você não manipula mas possui parceiros que processem esses dados, é imprescindível que eles sejam PCI.

Dica 4: invista em infraestrutura de vendas pela internet

Considere seu site como se fosse uma loja física. Ele deve ter investimentos em infraestrutura da mesma forma que você investe em câmeras de segurança em lojas físicas. Podemos falar de 3 tópicos:

  1. hospedagem: tenha uma hospedagem dedicada para lojas com bastante tráfego. Assim, ataques de acesso massivo não funcionarão contra sua loja;
  2. formas de pagamento: invista em gateways de pagamento de grande porte e fácil integração. Assim, as informações de seus clientes estarão mais seguras;
  3. processos internos: tenha na sua empresa um servidor interno que aumente a segurança da troca interna de informações.

Dica 5: disponibilize espaço para reclamações

Sites como o Reclame Aqui têm um perfil público das reclamações. Disponibilize em sua loja virtual uma seção que permita seu cliente reclamar direto com você em vez de usar outra plataforma.

Faça o máximo possível para ter 100% de reclamações atendidas para que seu índice de “voltaria a fazer negócio” ou “indicaria para um amigo” seja alto. Isso passa confiança para o cliente de que não terá problemas com a sua loja.

Dica 6: utilize os canais oficiais de atendimento

Essa dica serve tanto para o consumidor quanto para o lojista. Apesar da facilidade em utilizar aplicativos de mensagem como o WhatsApp, sempre utilize os canais oficiais de atendimento, os quais você poderá contabilizar depois.

Dessa forma, tanto cliente quanto lojista poderão encontrar protocolos de atendimento mais facilmente, transferir o atendimento entre consultores com mais agilidade e terão foco em resolver o problema já com as informações em mãos.

Disponibilize canais de atendimento rápidos e sem burocracia para que os seus clientes não precisem procurar na internet novas formas de te contatar. Se você tiver um 0800, permita que o contato também seja feito por celulares, pois hoje é mais comum não possuir telefone fixo em casa.

Dica 7: informações sobre a loja na internet

O grande diferencial de vendas pela internet é que a quantidade de informação é muito maior no processo de decisão de compra. Disponibilize o máximo sobre o procedimento de compra e seus produtos na internet para que seu cliente encontre você — e não a concorrência — falando das mercadorias e serviços prestados.

Um comportamento cada vez mais frequente é a busca por informações. Com o celular em mãos, eles procuram, de dentro das lojas, e-commerces com preços mais baixos. Então, é imprescindível que você agregue valor para que o cliente escolha investir o dinheiro dele na sua loja!

Com essas 7 dicas você já terá um e-commerce seguro o suficiente para não perder vendas pela internet e, melhor ainda, fazer com que clientes confiem e indiquem a sua loja on-line.

Você pode economizar e ter muito menos dores de cabeça com o seu e-commerce se pensar em segurança para os dois lados: o seu e o do cliente.

Gostou do artigo? Tirou as dúvidas sobre segurança para seu e-commerce? Então, siga-nos nas redes sociais e continue recebendo dicas incríveis de como se destacar da concorrência: Facebook | Twitter | LinkedIn.

Quer receber as novidades de e-commerce em primeira mão?

x