Para quem não viu nosso primeiro post sobre a DevTrip, a gente explica: a Mac Magazine e o iMasters organizaram uma viagem e chamaram 14 desenvolvedores para conhecer o Vale do Silício. Veja como foi o começo dessa aventura aqui.

Então, vamos para mais um episódio da nossa jornada!

A História da Computação

Na manhã de sábado, saímos para a nossa primeira aventura no Vale, fomos para Mountain View visitar o Computer History Museum. Já no estacionamento, nos deparamos com algo que não é visto aqui, uma área com estações de carregamento de bateria dos carros da Tesla. Ficamos abismados olhando os carros e seus painéis de última geração com integração com diversas aplicações, uma recarga completa demora aproximadamente 40 minutos. Claramente, o conceito de self-driving car é algo a ser perseguido pela Tesla e está perto de ser alcançado, a tecnologia empregada nos carros é impressionante!

tesla

Após esse primeiro impacto, fomos direto para o museu. Escolhemos fazer o tour da exposição Revolution: The First 2000 Years of Computing, mas existem diversas atividades paralelas que podem ser feitas. Se você está esperando que o tour comece pela Lisa e, em seguida, o clássico 486 e o avanço para processadores Ivy Bridge da Intel, você está completamente enganado!

Tudo tem origem há 2000 anos, da época que o homem começava a fazer cálculos, quando queríamos saber aonde é o norte e o sul e a nossa posição geográfica. Réguas de cálculo, bússolas, ábacos e outros utensílios começam o tour que, gradativamente, te leva a entender como o homem evoluiu esses itens para o dispositivo no qual você está lendo esse post. Passamos por máquinas de escrever de diversos tipos, e por cerca de 111 artefatos que desdobram a primeira parte da história da tecnologia, dentre eles, o Enigma, a Máquina de Turing e radares para aviões e submarinos.

museu

Logo depois, entramos na era da programação, quando o homem encontra maneiras de comunicar instruções a um computador com as linguagens de programação, tudo começando pelo FORTRAN. No museu, um infográfico com mais de 150 linguagens de programação mostra como elas foram evoluindo e, como a junção de algumas foram gerando as práticas que temos hoje como Ruby, C#, Java, Python e outras.

programming language

Com essa nova era tecnológica, uma infinidade de soluções e máquinas foram inventadas até chegarmos na era da computação pessoal. Aqui, relembramos de um nome conhecido, Steve Wozniak, citado no outro post. Steve reinventou o conceito de computador pessoal, retirando aqueles grandes mainframes e computadores que ocupavam salas inteiras e eram programados com discos, dando a interação entre homem e máquina, uma nova definição e, mais do que isso, uma nova relação entre computadores e pessoas. Depois, passamos pelos ZipDrives, CD-Roms, Disquetes, Celulares tijolão, Palmtops.

Na parte dos videogames, começamos com o Atari, jogamos Space Invaders e Pong, passando pelo NES, Master System, Super Nintendo, Nintendo 64, Playstation, Game Boy até chegar no XBOX One e PS4 que temos hoje. Vimos a Lisa, o iMac, os primeiros Lap Tops, o Windows, os primeiros robôs, a guerra dos navegadores Netscape e Internet Explorer, até os dias de hoje com o iPhone, o Surface, o Android e o Apple Watch, além de outros. Quem sabe quais serão os próximos?

pcs

Essa é uma exposição rica e, para entender tudo o que aconteceu, com certeza, um dia não é suficiente. Em cada seção podemos perder horas, porém olhar aquilo tudo e, entender como cada invenção foi evoluindo numa espécie de seleção natural da computação, é algo imperdível!

O Berço do Vale

Logo após a visita ao museu, fomos conhecer um pouco mais da história do Vale e, nada mais justo do que conhecer a garagem onde Steve Jobs e Wozniak inventaram e construíram os primeiros Macs. O número 2066 da Rua Crist Drive, em Los Altos. Fomos até a primeira casa de Jobs, um lugar simples que até hoje é visitado por amantes da tecnologia. A casa – que atualmente é propriedade de uma senhora –, tem uma placa na frente dizendo que fotos só podem ser tiradas da rua. A dona da propriedade, com certeza, deve sofrer com a legião de fãs que passam por aquele bairro simples para respirar um pouco do início de uma das gigantes da tecnologia.

De lá, fomos para a casa que é considerada o berço do Vale. No número 367 da Addison Avenue, em Palo Alto, podemos visitar a casa onde Bill Hewlett e Dave Packard iniciaram, dentro de sua garagem, a HP. Lá, eles construíram o primeiro produto da HP, um oscilador que teve 8 unidades vendidas para a Disney. A casa hoje é tombada e é um patrimônio do Vale do Silício e não está aberta para visitas. Na sua frente tem uma placa dizendo o marco histórico que a propriedade representa para a Califórnia.

casa

O Loop Infinito e a Hacker Way

Terminando o dia, visitamos a rua Infinity Loop, em Cupertino. Ela rodeia os seis principais prédios do HQ da Apple. Esse era o complexo onde Steve Jobs trabalhava e o local onde são feitas as pesquisas ultra secretas da Apple e sua equipe de design. Não conseguimos entrar no prédio por ser um final de semana e pela sigilosidade da Apple, porém o ambiente e a própria Apple Store – altamente equipada com as últimas tecnologias da Apple e que ainda não foram para outras lojas –, já dão um gostinho do que deve ser uma semana nesse lugar.

Depois da Apple, passamos rapidamente pelo escritório do Facebook em Menlo Park, no número da Hacker Way. O Facebook ficou com a antiga localização do escritório da Sun Microsystems, a placa com a curtida ainda tem a logo da Sun do outro lado. O Zuckerberg fez questão que a logo ficasse ali para relembrar a todos do Facebook que, as empresas de tecnologia que não acompanham o ritmo rápido, podem acabar assim. Não conseguimos entrar no escritório, mas demos uma olhada na parte de fora. Um grande e colorido complexo aonde as curtidas estão em todas as partes. E essa foi a nossa última parada do dia.

hacker way

Fique ligado no blog que toda semana a gente vai contar como foi um dia da DevTrip.

Quer receber as novidades de e-commerce em primeira mão?

x