Conquistar uma venda é um esforço para todo lojista. Investimentos em marketing digital, infraestrutura e tecnologia são só alguns exemplos do que deve ser colocado em prática para atrair clientes. No entanto, mesmo com toda essa dedicação, muitas vezes, a taxa de conversão do e-commerce não aumenta.

É nesse momento que é preciso avaliar onde estão os possíveis problemas e realizar os ajustes necessários. Por isso, vamos explicar o que é a taxa de conversão, sua importância e quais são os 5 principais erros que impedem o seu crescimento. Boa leitura!

O que é a taxa de conversão?

Trata-se do percentual de pessoas que realizam uma compra na sua loja virtual em determinado período. Para chegar a esse número, o cálculo é muito simples:

Taxa de Conversão = número de vendas / total de visitas

Para facilitar o entendimento, vamos imaginar que o seu e-commerce tenha recebido 300 visitas em um mês e realizou 30 vendas. Nesse caso, sua taxa de conversão foi de 1% no período. De acordo com levantamento do E-commerce Brasil em parceria com o Sebrae, a taxa de conversão média do segmento no país é de 1,5%.

Apesar de alguns especialistas considerarem o número baixo, não existe um percentual que seja padrão. Alguns fatores devem ser levados em conta nesse cálculo, como nicho do produto, os países que o e-commerce atende, o momento do mercado, entre outros.

Qual é a importância da taxa de conversão?

Essa métrica ajuda a verificar se todos os seus investimentos para atrair vendas estão trazendo resultados. Identificar a taxa de conversão é uma forma de melhorar o desempenho do negócio e aumentar o seu faturamento. Uma taxa de conversão baixa pode ser resultado de diversos problemas, que devem ser identificados o quanto antes para evitar maiores prejuízos.

Quais são os erros que podem prejudicar a taxa de conversão?

Agora que você conferiu o que é a taxa de conversão e qual a sua importância, veja 5 erros comuns que podem impedir o seu crescimento:

1. Formulários muito grandes

Solicitar os dados dos clientes é fundamental para efetuar uma venda segura, além de fornecer informações importantes para a segmentação de campanhas de marketing. O problema é quando o visitante se depara com um formulário enorme logo no primeiro contato com a empresa.

Imagine a seguinte situação: o consumidor está fazendo uma pesquisa no Google usando o smartphone e se depara com uma boa promoção na sua loja virtual. O impulso é fazer a compra logo em seguida, mas ele encontra um formulário de cadastro cheio de perguntas, que vão exigir bastante tempo para serem respondidas no celular. Não é difícil imaginar que essa tenha sido uma venda perdida, não é mesmo?

Em um primeiro momento, procure solicitar apenas as informações básicas para a compra. Outra forma de estimular o preenchimento é usar um layout atrativo, apostando na criatividade. Caso o seu público-alvo permita uma linguagem mais informal, utilize frases como “Preencha seus dados, é rapidinho” e outros CTAs (Call To Actions) persuasivos - falaremos mais sobre o assunto no artigo.

2. Conteúdo irrelevante

Com o avanço da tecnologia e das mídias sociais, passamos a ser bombardeados de informações todos os dias. Diante dessa realidade, um dos maiores desafios das empresas é conseguir se destacar entre a concorrência e chamar a atenção do consumidor. Rafael Rez, um dos maiores especialistas de marketing de conteúdo do Brasil, afirma que a moeda que compra a atenção das pessoas hoje é o conteúdo.

Para perceber a importância dessa estratégia, faça um exercício de memória: qual foi a última marca que impactou você de forma positiva na internet? Com certeza, foi uma empresa que apresentou um conteúdo relevante e que soube se comunicar de forma certeira com seu público-alvo.

Sendo nas redes sociais, no e-mail marketing, nos links patrocinados ou até mesmo no próprio site, disponibilizar um conteúdo raso e sem nenhum diferencial não vai atrair a atenção do consumidor. Conhecer bem seu público e dedicar mais esforços nessa estratégia é uma forma de aumentar a taxa de conversão e melhorar a credibilidade da sua marca.

3. Ausência de usabilidade no site

Usabilidade é um termo usado para definir a facilidade com que as pessoas navegam por um site. Existem vários exemplos do que pode atrapalhar a experiência do usuário na sua loja virtual:

  • conteúdo ruim, de difícil compreensão;
  • imagens ou vídeos de baixa qualidade;
  • falta de informações importantes;
  • links quebrados;
  • excesso de páginas;
  • menu muito extenso ou confuso;
  • layout poluído;
  • excesso de banners;
  • dificuldade para navegar em dispositivos móveis;
  • lentidão no site.

Todos esses erros passam para o consumidor uma imagem amadora do seu e-commerce, causando insegurança e afetando a credibilidade da sua marca. Procure fazer uma revisão completa do site, eliminando todos os problemas que podem afetar a navegação do usuário.

4. Falta de opções de pagamento

Todos gostamos de ter o poder de escolha, não é mesmo? Quando falamos de vendas, oferecer várias formas de pagamento é uma forma de proporcionar ao consumidor mais possibilidades e segurança na transação.

Enquanto algumas pessoas não se incomodam de sair da página de compra da loja virtual para realizar o pagamento em outro site, outros se sentem desestimulados e podem até desistir da compra. Por isso, é importante disponibilizar o máximo de opções de pagamento possíveis em um ambiente que passe segurança ao consumidor, utilizando intermediadores ou gateways de pagamento, por exemplo.

5. CTAs que não são atrativos

CTA é a abreviação para Call To Action, traduzindo, chamada para a ação. Trata-se de uma estratégia que tem como objetivo estimular o consumidor a realizar algumas ações no site, por exemplo, assinar uma newsletter, visualizar uma promoção, realizar o checkout, entre outras.

Geralmente, o CTA é incluído em botões ou por meio de frases curtas, e é aí que muitos lojistas cometem erros. Um dos mais comuns é incluir um botão que não se destaca no layout. É importante usar cores que chamem a atenção do consumidor, além de deixá-lo em uma posição que estimule o clique. Para identificar quais são as melhores opções, o ideal é realizar testes A/B.

Com relação ao conteúdo, verbos no imperativo costumam ser bastante utilizados (“compre agora”, “assine nossa newsletter”), mas é possível sair do comum e investir na criatividade. Utilize variações como “quero comprar agora”, “quero ficar por dentro das novidades”, entre outras frases com um tom mais amigável e próximo do consumidor.

Conhecer bem seu público-alvo é essencial para adaptar a sua loja virtual a todas as necessidades do consumidor. Dessa forma, é possível evitar os problemas que afetam o desempenho do seu negócio e criar credibilidade para a sua marca.

Quer ver mais dicas para melhorar o desempenho do seu e-commerce? Acompanhe nossos artigos!

Simone Chaves

Simone Chaves

Formada em Comunicação Social - Jornalismo pela UFRRJ, atua como Analista de Marketing na MundiPagg.
Simone Chaves

Nova API

Para você que já está integrado à nova API, lançamos um novo Dashboard. Para acessá-lo, clique aqui:


NOVO DASHBOARD

API antiga

Caso você continue integrado à nossa API antiga, acesse por aqui o antigo Dashboard:


ANTIGO DASHBOARD
fechar