Você, por acaso, saberia explicar o que é pagamento recorrente? Sabia que esse método de cobrança é uma forte tendência e que pode ser utilizado nos mais variados negócios? Já parou para pensar que o modo como os clientes são cobrados é um fator determinante para o crescimento das organizações?

Independentemente das suas respostas, o ponto a destacar, nesse caso, é que essa modalidade de pagamento já se consagrou no mercado. Os benefícios em adotá-la são inúmeros, refletindo para ambas as partes, empresa e consumidor.

Enquanto as organizações são conquistadas pela dinâmica de gestão, os clientes estão sendo atraídos pela praticidade. Por isso, preparamos este artigo para falar sobre o assunto.

Você verá o que é o pagamento recorrente e por que aplicá-lo em sua empresa. Se está em busca de novas soluções e deseja aumentar as suas vendas, continue aqui conosco!

Então, o que é pagamento recorrente?

De forma clara e objetiva, o pagamento recorrente nada mais é que aquele relacionado aos serviços contínuos e baseados em assinaturas. Isso quer dizer que, enquanto prestados, os vencimentos continuarão a ser pagos e só haverá cancelamento se o cliente solicitá-lo.

Vale ressaltar que é absolutamente normal as empresas determinarem um tempo mínimo de relação, o que deve ser especificado em contrato. Se, porventura, for solicitado o cancelamento do serviço antes do fim desse período, uma multa de rescisão poderá ser cobrada (e que também deve ser exposta ao conhecimento do cliente no momento da contratação).

Você já deve ter ouvido falar (ou até mesmo é cliente) de companhias como Netflix e Spotify, certo? Pois então, elas servem como exemplos de negócios que oferecem serviços por pagamento recorrente.

Quanto aos intervalos de tempo para as cobranças, cada empresa tem a sua própria política: pode ser semanal, mensal, trimestral etc. O pagamento pode ser feito com cartão de crédito ou boleto, conforme a escolha do assinante.

Como mencionado no início do artigo, essa modalidade é uma tendência de uso que está crescendo em diversos setores e para os mais variados fins, como:

  • cultura e entretenimento (séries, filmes, músicas);
  • mídia (portais eletrônicos, jornais, revistas);
  • educação (cursos on-line);
  • academias;
  • soluções digitais (contabilidade, banco de imagens);
  • clubes de assinaturas (cervejas, vinhos, café);
  • seguros e planos de saúde.

Por estar mais associado aos serviços, muitas pessoas acham que o pagamento recorrente não pode ser adotado para a venda de produtos. Porém, a verdade é que pode sim, como, por exemplo, os clubes de assinaturas.

Por essa razão, alguns também o chamam de compra ou venda recorrente.

Como aplicá-lo na sua empresa?

Agora que você já sabe o que é pagamento recorrente, mostraremos como aplicá-lo na sua empresa. Para facilitar o seu entendimento, o exemplificaremos no ambiente do comércio eletrônico.

Digamos que você tenha um petshop on-line e que trabalhe com produtos para cães e gatos, incluindo sacos de ração, petiscos, roupas, coleiras, brinquedos e demais acessórios.

Naturalmente, quem tem um animalzinho de estimação e preza pelo seu cuidado pode visitar o seu site e adquirir alguns dos seus itens, certo? No entanto, como fazer esse cliente sair de uma compra única e esporádica para uma recorrente?

Uma boa opção é criar um clube de assinatura para que ele possa receber mensalmente uma seleção de produtos. É claro que as roupinhas e similares não combinariam com essa abordagem, contudo, os pacotes de ração e os petiscos sim.

Agora, se quiser ir ainda mais além e aumentar as suas chances de sucesso, ofereça mimos e surpresas. De uma forma ou outra, como gestor e/ou empreendedor você pode usar a sua criatividade!

Como deve ser feita a gestão dos pagamentos?

Visto o que é e como aplicá-lo, não poderíamos deixar de falar sobre a gestão desse método. No início do artigo, nós mencionamos que um dos motivos pelo qual ele se torna atrativo para as empresa é a sua dinâmica de gerenciamento.

Nesse sentido, isso acontece devido às métricas de negócio que o envolvem. E quais são elas, você deve estar ser perguntando, não é? Bem, basicamente, atente para as seguintes:

  • receita recorrente mensal (MRR) — cálculo que representa a soma total das assinaturas, “mensalizando” os valores;
  • custo de aquisição por cliente (CAC) — valor gasto para adquirir novos assinantes;
  • taxa de cancelamento — percentual de clientes que desistem da recorrência;
  • tempo de vida do cliente — média de tempo que os clientes mantiveram os serviços;
  • ticket médio — valor médio pago pelas assinaturas;
  • valor de vida do cliente — representação do lucro obtido durante o período contratado.

A partir desses indicadores você terá uma visão ampla e completa no que se refere aos pagamentos recorrentes. Por isso, acompanhá-los é indispensável, não se esqueça disso.

Quais são os benefícios dessa prática para o negócio?

E, para finalizar, nada melhor do que falarmos sobre os benefícios dessa prática para o negócio. Por proporcionar a retenção dos clientes, a recorrência contribuirá para o aumento das vendas e, consequentemente, para o crescimento da sua empresa.

Além disso, sabe-se que esse modelo também reduz os custos com pessoal e conciliação, facilitando as cobranças e reduzindo a inadimplência (quando o pagamento é feito por cartões de crédito, ela será praticamente zero). No caso dos boletos, é natural que atrasos aconteçam.

Não o bastante, a taxa de cancelamento dos pagamentos atuará como um excelente indicador de performance. Se ela for alta, é sinal de que os seus serviços ou produtos oferecidos precisam ser melhorados.

Aliás, esse é um fator-chave para o sucesso dessa aproximação, a qualidade. Pecar nesse quesito não lhe trará bons resultados. Um exemplo claro disso é a própria Netflix que, com suas produções, cresce o seu número de assinantes mês após mês.

Esperamos que você tenha compreendido o que é pagamento recorrente e por que aplicá-lo na sua empresa. Agora veja como funciona a solução de pagamento recorrente da MundiPagg!

Simone Chaves

Simone Chaves

Formada em Comunicação Social - Jornalismo pela UFRRJ, atua como Analista de Marketing na MundiPagg.
Simone Chaves