A Black Friday começou no Brasil em 2010 com a necessidade de liquidar os estoques para o Natal, oferecendo aos consumidores produtos com preços muito baixos. Desde então a data vem se tornando um dos maiores eventos para o e-commerce brasileiro.

Neste ano, o comércio eletrônico em geral teve um faturamento de R$ 2,1 bilhões durante a Black Friday. Isso representa uma alta de 10,3% em relação à 2016, de acordo com dados da Ebit.

O número de pedidos cresceu 14% e chegou a 3,76 milhões. Já o ticket médio, que é o valor médio de cada compra, teve retração de 3,1%, com queda de R$ 580 para R$ 562.

Ainda segundo a Ebit, a categoria de produtos mais procurados foi a de eletrodomésticos, com 16% dos pedidos. Logo depois, estão: telefonia e celulares (12%), moda e acessórios (12%), e perfumaria, cosméticos e saúde (10%).

Para a data, a MundiPagg também realizou um estudo comparando os dados deste ano com a Black Friday 2016 e os principais motivos de reprovação de pedidos. Confira!

MundiPagg na Black Friday 2017

Número de pedidos e ticket médio

Como foi mostrado pela Ebit, a Black Friday 2017 aumentou a quantidade de pedidos em relação à 2016, e na Mundi não foi diferente. O número de pedidos teve um crescimento de 19,5% em relação ao ano passado.

Já o ticket médio capturado na Mundi teve um aumento de 8,9% em relação à 2016. Além disso, a conversão das transações de cartão de crédito foi de aproximadamente 90%, enquanto a de 2016 foi cerca de 80%.

Essa taxa alta é reflexo de algumas funcionalidades disponibilizadas na Mundi, como a retentativa, que evita reprovar transações normais dando uma ‘segunda chance’ ao pedido, o que consequentemente aumenta a conversão do lojista.

Para João Barcellos, CEO da MundiPagg, o resultado da Black Friday 2017 foi muito bom graças a preparação com antecedência e estratégia. “Esses números são um reflexo de todo o planejamento que tivemos para a Black Friday. Cada ano é um novo desafio, aprendemos com as edições passadas, crescemos, amadurecemos e aumentamos nossa capacidade. Com toda essa preparação ajudamos os nossos clientes a venderem ainda mais do que no ano passado”.

Horários de pico

Os horários de maior aderência na Black Friday 2017 foram às 10h e às 21h. O número de pedidos por minutos esse ano chegou a mais de 2.400, 11% mais do que no ano passado. Já por hora, o volume chegou a 100 mil pedidos, um aumento de 27%.

Os números demonstram um comportamento dos consumidores para garantir as melhores ofertas online. Esses dados são importantes para o lojista mapear quais os horários o site pode receber maior volume de visitantes e evitar quedas e lentidão.

Ou seja, estudos comportamentais são essenciais para a preparação do lojista em datas especiais para o e-commerce, como a Black Friday e o Natal.

Pedidos com boleto

Logo após a Black Friday deste ano, cerca de 50% dos pedidos feitos por boleto já tinham sido pagos e convertidos. No entanto, a outra metade ainda não tinha sido paga até então.

O boleto pode ser uma ferramenta essencial para o e-commerce, pois como o valor é cobrado por inteiro, sem parcelamento, é mais simples de oferecer descontos maiores com esse tipo de pagamento.

Entretanto, com o boleto o lojista não tem a garantia que o pagamento será de fato realizado, pois muitos consumidores geram o boleto e não o pagam, ou o prazo de validade vence e desistem da compra. Isso pode ser ruim para o lojista que reserva o estoque para esse pedido, e acaba que não o vende.

Não existe uma regra que especifique a eficácia desse meio de pagamento. Cabe ao lojista avaliar se o boleto é uma boa opção para o seu tipo de negócio. Dependendo do produto ou serviço oferecido ele pode ser uma excelente opção, mas já para outros, não tanto.

Motivos das transações negadas

Existem diversas razões para uma transação não ser autorizada, e isso pode depender tanto da adquirente quanto do banco. Em geral, muitos desses erros acontecem por restrições no cartão, erro de digitação, validade vencida, dados incorretos, entre outros fatores.

Na Mundi, os principais motivos para as transações não serem autorizadas na Black Friday foram por restrições dos cartões por partes dos emissores e saldo insuficiente.

A negação por saldo insuficiente é bem comum no e-commerce, pois muitos consumidores não sabem que para comprar um produto o limite do cartão deve contemplar o valor total da compra, e não apenas a parcela mensal.

A Black Friday pode ter chegado ao fim, mas suas vendas não podem parar! Aproveite esse estudo e prepare-se para a próxima grande data para o e-commerce: o Natal!

Quer saber dicas de como se preparar? Não perca tempo, acompanhe nossos artigos e fique por dentro!

Simone Chaves

Simone Chaves

Formada em Comunicação Social - Jornalismo pela UFRRJ, atua como Analista de Marketing na MundiPagg.
Simone Chaves