No e-commerce, diversificar as formas de receber pagamentos on-line é essencial para atender as necessidades do público e conseguir melhores resultados em vendas. Mas você sabe quais são as principais?

Neste conteúdo, vamos abordar as maneiras mais consolidadas de receber pagamentos na internet, a importância da diversificação e quais as tecnologias necessárias. Confira!

Por que diversificar os meios de pagamento no e-commerce?

O mapeamento do perfil do público-alvo e do comportamento de compra é fundamental para entender melhor quais as demandas dos clientes e, assim, desenvolver soluções que sejam mais eficazes na estratégia do negócio.

Com as formas de pagamento não é diferente. É muito possível que um levantamento correto revele ao gestor quais as opções mais utilizadas pelos clientes, no entanto, isso não quer dizer que se deve restringir apenas a elas.

O fechamento da compra é momento fundamental e, ao mesmo tempo, crítico, no qual qualquer discordância do cliente pode resultar no abandono de carrinho. Com isso, diversificar as formas de receber pagamentos on-line permite que ao menos uma opção contemple as necessidades do consumidor para aquele momento.

Essa estratégia diminui as chances de desistência no checkout e, consequentemente, resulta no aumento das vendas. Portanto, disponibilizar as principais formas é essencial para que o negócio se mantenha relevante para os consumidores.

Quais as principais formas de receber pagamentos on-line?

Entre as formas de receber pagamentos, estão opções bastante consolidadas e outras mais incipientes que, futuramente, podem ser muito frequentes. A seguir, destacamos 5 modelos de pagamentos.

Boleto bancário

Um modelo bem comum de pagamento é o boleto bancário, o que faz com que muitos consumidores prefiram essa opção pela segurança da transação e por não exigir o fornecimento de informações bancárias. Um aspecto positivo se refere às baixas taxas para emissão dos boletos e também ao fato de ser uma única parcela, fazendo com que o recebimento seja mais rápido.

Com isso, é comum que e-commerces ofereçam descontos quando o consumidor opta pelo pagamento via boleto bancário. Entretanto, é preciso esclarecer que a separação e o envio do produto podem depender de um período maior para confirmação do pagamento.

Um aspecto negativo desse modelo é que o consumidor pode emitir o boleto e desistir da compra, sendo importante um estoque inteligente que possa retornar a oferta do produto quando o boleto não for pago.

Cartão de crédito

As compras na internet usando cartões de crédito estão cada vez mais frequentes, o que torna essa opção fundamental para que o lojista atenda às demandas do consumidor e possa reter e fidelizar clientes.

Como benefício, está o de que muitos clientes preferem usar essa forma de pagamento. No entanto, para disponibilizar essa opção, o e-commerce precisa pagar taxas às operadoras, contar com um sistema de segurança eficiente para não comprometer as informações dos clientes e também se planejar sobre quando vai receber os valores.

Para o consumidor, o benefício se refere à possibilidade de parcelamento e também à segurança da transação.

Cartão de débito

Uma opção que ainda não é tão recorrente, mas também é procurada por muitos consumidores, é o pagamento com cartão de débito. Nesses casos, o e-commerce deve ter convênio com os próprios bancos, que podem exigir taxas elevadas para a transação, tornando-a menos interessante.

Como benefício para o lojista, destaca-se que o recebimento do pagamento é quase imediato e reduzem-se as chances de chargeback, que é quando o cliente não reconhece a compra e pede reembolso.

Carteiras digitais

As carteiras digitais são alternativas menos comuns, mas que estão ganhando visibilidade no mercado. Chamada também de e-wallet, essa opção é bastante segura, sendo que as carteiras ficam armazenadas em aplicativos que guardam os dados que são usados nas transações on-line.

Um exemplo de carteira digital é a que utiliza o pagamento com bitcoins para compra de serviços e produtos. Empresas de tecnologia também estão investindo nessa solução para que ela se torne mais comum e segura. Portanto, empreendimentos inovadores devem ficar de olho nessa alternativa.

Débito em conta

O débito em conta, ou transferência bancária, também é uma forma de receber pagamentos on-line e que tem se tornado mais comum devido à agilidade da transação, pela qual o e-commerce recebe o valor total do produto quase que imediatamente.

Apesar dos benefícios referentes às baixas taxas e velocidade do pagamento, esse modelo exige que a plataforma de e-commerce se comunique com o internet banking das instituições financeiras e tenha sistemas de segurança reforçados por exigir que o consumidor informe dados bancários.

Quais as principais tecnologias para pagamento na internet?

Ao definir quais formas de pagamento serão aceitas no e-commerce, o gestor também deve atentar para as tecnologias que são exigidas para que essas soluções funcionem corretamente e com segurança para a empresa e para os consumidores. Destacamos, a seguir, dois modelos para receber pagamentos.

Gateway de pagamento

Os gateways de pagamento podem ser entendidos como substitutos das maquininhas de cartão para os ambientes virtuais. Quando o cliente insere as informações do cartão de crédito, elas são encaminhadas pelo gateway à instituição financeira que vai autorizar ou não a compra, analisando os dados informados e o crédito do cliente.

Apesar das taxas mais baixas desse modelo de pagamento, o e-commerce deve fazer contratos com cada bandeira e adquirentes de cartão, individualmente, sendo uma opção mais indicada para grandes lojistas. Devido ao maior volume de vendas, é possível negociar melhores taxas e tornar a solução ainda mais vantajosa.

E-commerces que optam pelos gateways de pagamento ainda devem investir em sistemas antifraudes para evitar prejuízos, visto que esses modelos não apresentam mecanismos de segurança e verificação integrados.

Intermediadores de pagamento

Os intermediadores de pagamento funcionam como mediadores entre comprador, lojista e instituição financeira. Nesse modelo, fica a cargo da empresa mediadora a definição de contratos com as operadoras de cartão e também pode disponibilizar outras formas de pagamento, como boleto, débito e transferência.

Pelo fato de o intermediador ser o responsável por essas etapas, as taxas costumam ser mais elevadas do que as do gateway. Entretanto, para pequenos e médios lojistas, essa opção pode ser mais vantajosa pela praticidade e pelo sistema de segurança incluso.

Conhecendo agora quais são as principais maneiras de receber pagamentos on-line, a importância de diversificar essas opções para vender mais e quais são as tecnologias envolvidas no processo, esperamos que você possa fazer uma escolha mais adequada para o seu modelo de negócio e para os objetivos do e-commerce.

Quer ver outras informações relevantes sobre o mercado de pagamento? Então, acompanhe nossos artigos!

Simone Chaves

Simone Chaves

Formada em Comunicação Social - Jornalismo pela UFRRJ, atua como Analista de Marketing na MundiPagg.
Simone Chaves